Mel Calado, Fisioterapeuta Pélvica

Dor Pélvica Crônica. Conheça alguns dos tratamentos

Dicas de Saúde

Dor Pélvica Crônica. Conheça alguns dos tratamentos
A dor tem um forte impacto negativo sobre a qualidade de vida integral do indivíduo. Em se tratando de Dor Pélvica Crônica (DPC) pode comprometer objetivamente a qualidade de vida sexual do paciente devido à sua localização, a pelve.

A DPC é uma dor sem malignidade, relacionada às estruturas pélvicas, com duração de cerca de 6 meses. No homem, a dor pode se apresentar na genitália (pênis e escroto), região anal e vesico-uretral, na musculatura do assoalho pélvico e nas regiões púbica e coccígea. Seja qual for sua localização, procurar ajuda de um profissional especializado é imprescindível para acolhimento e avaliação da queixa e eleição do melhor tratamento, este muitas vezes multidisciplinar.

As disfunções musculoesqueléticas e neurológicas que causam DPC são mais sensíveis ao tratamento fisioterapêutico. Alguns exemplos delas são: síndrome da dor anorretal, anismus, síndrome da dor do nervo pudendo, síndrome da dor perineal, síndrome da dor dos músculos do assoalho pélvico.

Os exercícios terapêuticos globais e dos músculos pelvi-perineais, o TENS e o biofeedback, são umas das ferramentas utilizadas no tratamento destes casos da DPC. O objetivo do tratamento da fisioterapia pélvica é acolher o paciente, promover a melhora do quadro álgico e da qualidade de vida (e sexual) do paciente.
  • COMPARTILHAR POST:

Outros Posts

Buscar no Blog

Categorias